cao da montanha dos pirineus

Presente nos Pireneus desde tempos imemoriais, conhecido na Idade Média e utilizado como guardião de castelos, ele foi mencionado por Gaston Phoebus no século XIV.

Já apreciado como cão de companhia no século XVII, conheceu a glória na corte de Luís XIV.

A primeira descrição detalhada desse cão data de 1897 no livro de Comte de Bylandt.

Dez anos mais tarde, foram criados os primeiros Clubes da raça e, em 1923, (reunião dos Amadores dos Cães Pirineus – R.A.C.P.), por iniciativa de Mr. Bernard Sènac-Lagrange, registrou-se o padrão oficial através da S.C.C. (Société Centrale Canine, French K.C.). O padrão atual é ainda muito próximo do padrão elaborado em 1923, apenas algumas poucas modificações foram feitas.

Aspecto Geral. Cão de tamanho grande, imponente e fortemente constituído, mas não sem uma certa elegância.

Proporções

A largura máxima do crânio é igual ao seu comprimento.
– o focinho é ligeiramente mais curto do que o crânio.
– o comprimento do tronco, da ponta do ombro à ponta da nádega, é levemente maior que altura na cernelha.
– a profundidade de peito = ou levemente menor que 1/2 altura na cernelha.

Talhe

Macho: Altura Máxima – 80 cm
Altura Mínima – 70 cm
Altura Ideal – padrão não comenta.
Fêmea: Altura Máxima – 75 cm
Altura Mínima – 65 cm
Altura Ideal – padrão não comenta.

Temperamento

Utilizado para assegurar, sozinho, a proteção do rebanho contra os ataques dos predadores, sua seleção foi feita sobre suas aptidões para a guarda e seu apego ao rebanho. As principais qualidades conseqüentemente são a força e a agilidade, como também a meiguice e o apego aos que são protegidos por ele. Esse cão de guarda tem uma propensão à independência e um senso de iniciativa que exigem da parte de seu dono uma certa autoridade.

Pele. Espessa e flexível; ela apresenta muitas vezes manchas pigmentadas sobre todo o corpo.

Pelagem

Pêlo: bem guarnecido, plano, bastante longo e flexível; mais crespo nos ombros e dorso, mais longo na cauda e ao redor do pescoço onde ele pode ondular ligeiramente. O pêlo do culote é mais fino, mais lanoso e muito denso. O subpêlo é igualmente denso.

Cor

Branca ou branca com manchas de aparência cinza (pêlo de texugo ou de lobo), ou amarelo claro ou laranja (arrouye) na cabeça, nas orelhas, na raiz da cauda e às vezes sobre o tronco. As manchas texugo são as mais apreciadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: