american bully

A raça Bully Americana foi criada em meados de 1990 s, com o objetivo de criar o companheiro da família definitiva. O Bully americano foi criado através de anos de reprodução seletiva, combinando as características desejadas do American Pit Bull Terrier eo UKC AKC americano Staffordshire Terrier. Algumas linhas foram adicionados raças intimidam outros na mistura e raças da intimidação às vezes não. O Bully origem americana pode ser vista tanto na costa leste e oeste dos Estados Unidos, principalmente na Virgina, e Los Angeles, Califórnia, e está se espalhando para todas as partes os EUA. Hoje, o Bully americana também pode ser visto, na Europa e na Ásia. É muitas vezes confundido com o americano Pitbull Terrier, mas é claramente uma raça diferente.O Bully americano é um cão feliz e de saída, estável e confiante. Gentil e amoroso com as pessoas. Bem-humorado, divertido, animais de estimação da família extremamente leal e afetuoso. Quase sempre obediente, este cão não quer nada mais do que para agradar ao seu mestre . É um cão de guarda extremamente corajoso e inteligente que é muito cheia de vida. Esta raça possui a lealdade e estabilidade do American Pit Bull Terrier, mantendo o temperamento sociável, amável, e saída do American Staffordshire Terrier. Esta raça única é conhecido por apresentar extrema tolerância com as crianças e uma ânsia enorme de agradar a sua família. Confiante, mas não agressivo, esta raça possui um temperamento muito agradável. Fisicamente, o Bully americano tem uma construção impressionante, Atlético, que é tanto muscular e definidos, e mostra a força e agilidade. A raça é versátil e capaz de realizar uma ampla variedade de tarefas. Tudo ao redor, o Bully americano é um bem arredondado, companheiro da família confiável, confiável e ideal. A raça é muito extrovertido com uma ânsia de agradar. Eles são conhecidos por sua coragem. Corajoso e lutador persistente se provocado. Altamente protetor de seus proprietários e de propriedade do proprietário, ele vai lutar contra um inimigo até a morte se as armadilhas do inimigo do cão em um canto e ameaça os seus queridos. Esta raça tem uma tolerância muito alta para a dor. Socializar muito bem quando o jovem a curva de qualquer cão tendências agressivas. Ele deu excelentes resultados como um guardião da propriedade, mas é ao mesmo tempo estimado como cão de companhia. Esta raça não é para o proprietário do passivo que não entende que todos os cães têm um instinto de ter um fim pacote . Leia Top Dog . O Bully americana precisa de um dono que é firme, mas calma, confiante e consistente. Eles precisam saber o que se espera deles; regras a seguir e os limites para o que são e não estão autorizados a fazer. O objetivo na formação e sucesso mantendo este cão é para alcançar um estado líder da matilha . É um instinto natural para um cão para ter um fim em sua embalagem . Quando nós, os seres humanos vivem com cães, tornamo-nos o seu pacote. O pacote inteiro coopera sob um único líder. As linhas são claramente definidas. Você e todos os outros seres humanos deve ser mais alto na ordem que o cão. Essa é a única maneira que seu relacionamento pode ser um sucesso.
Americana Bully tem um revestimento curto, fechado, duro ao toque, e brilhante. Todas as cores e padrões são aceitáveis. O chefe da Bully americano é um comprimento médio, profunda de parte, crânio largo, muito pronunciados músculos das bochechas, parada distinta, e das orelhas altas. As orelhas podem ser cortadas ou não cortadas. Olhos – Todas as cores, exceto o albinismo. Circulares ou ovais, baixos no crânio e bem separados. Focinho – de comprimento médio, arredondado na linha superior ou ligeiramente quadrado e caindo abruptamente abaixo dos olhos. Maxilas bem definido. Sob a mandíbula para ser forte e mostrar poder cortante. Lábios perto e até mesmo, algumas folgas aceito, mas não o preferido. Dentes superiores para atender bem fora dentes inferiores na frente ou tesoura aceito. Nariz todas as cores aceitáveis. O pescoço é pesado, ligeiramente arqueado, afinando dos ombros até a parte posterior do crânio. Sem frouxidão da pele. Comprimento médio. Ombros fortes e musculosos, com escápulas largas e oblíquas. A parte traseira é bastante curto. Ligeira inclinação da cernelha até a garupa ou em linha reta com aceitou apresenta uma suave inclinação na garupa à base da cauda. Traseiras ligeiramente mais elevados aceito, mas não é incentivada. O corpo bem arqueadas costelas, profundas na parte traseira. Todos os reforços juntos. Forelegs definir afastadas para permitir o desenvolvimento peito. Peito profundo e amplo. A cauda é curta em comparação com o conjunto de tamanho, baixo, afinando para a ponta; não enrolada. Não cortada. Pernas-frontal deve ser reta. A viragem para o exterior pequenas dos pés é aceito, mas não desejado, ossos grandes ou redondos, metacarpos retos. Nenhuma semelhança da curva na frente. Posteriores bem musculado, muito baixo no jarrete, não virando nem para dentro nem para fora. Pés de tamanho médio, bem arqueados e compactos. MOVIMENTAÇÃO-deve ser flexível com a unidade para fora da parte traseira.


Altura, Peso

Altura: Machos 18 – 21 polegadas (46 – 53 cm.)
Altura: Fêmeas 17 – 20 polegadas (43 – 51 cm.)
Peso 70 – 120 libras (31 – 54 kg.)
Peso e altura variam muito e não é importante considerar , no entanto proporção correta entre peso e altura é. Os cães devem ser muito largo e musculoso.

Anúncios

King Charles Spaniel

Em 1903 foi feita uma tentativa no Reino Unido para mudar o nome da raça de Spaniel de brinquedo. No entanto, a mudança foi opõe pelo Rei Eduardo VII, um devoto da raça, e manteve o nome, provavelmente atribuída a ele por causa da pintura de Van Dyck, do século 17, que apresentou o Rei Carlos II com estes animais.
O é uma opção ideal. É um mixer bom, maravilhoso com crianças e – apesar de sua pequena estatura – muito resistente. Ele faz, contudo, exigir a preparação do diário, banhos regulares e, como o Cavalier King Charles Spaniel eo pequinês , para ter os olhos enxugou a cada dia, o cuidado deve ser tomado com as orelhas para evitar cancros.

Tamanho
Peso: (mais desejável) 8-14 lbs. (3,6-6,4 kg)

Pelagem e Cor
A pelagem deve ser longa, sedosa, macia e ondulada, mas não crespo. Deve haver uma juba profusa, estendendo assim para baixo na frente do peito. A pena deve ser bem apresentado nas orelhas e nos pés, e em último caso, tão densamente como para dar a aparência de ser alado. Também é portada bem para cima das costas das pernas. No Black and Tan, a pena na orelha é muito longa e profusa, superando a Blenheim por 1 polegada (3 cm) ou mais. A pena na cauda (que é cortado ao comprimento de cerca de 1 1 / 2 polegadas [4 cm]) deve ser de seda, e 3-4 cm (8-10 cm) de comprimento, constituindo uma bandeira marcada por um quadrado forma, e não realizados acima do nível do dorso.

Charles King e Cores Ruby
O rei Charles e os tipos de Ruby que compreendem uma variedade show são os cães de cor sólida. O rei Charles são preto e tan (considerada uma cor sólida), o negro rico e brilhante, com marcas de mogno castanho acima dos olhos e no focinho, peito e pernas. A presença de alguns pêlos brancos misturados com o preto no peito deve ser penalizada, mas uma mancha branca no peito ou branco aparecendo em outros lugares desqualifica. O Ruby é um vermelho castanho rico e é todo colorido. A presença de alguns pêlos brancos misturados com o vermelho no peito deve ser penalizada, mas uma mancha branca no peito ou branco aparecendo em outros lugares desqualifica.

Blenheim e Cores Príncipe Charles
Os tipos de Blenheim e príncipe Charles que compõem a mostrar uma variedade de outros cães são quebrados coloridas. O Blenheim é vermelho e branco. A cor do solo é um branco perolado, que tem castanha vermelho rubi ou marcas vermelhas uniformemente distribuídas em grandes manchas. As orelhas e bochechas deve ser vermelha, com uma mancha de cor branca que se estende do nariz até a testa e terminando entre as orelhas em uma curva crescente. No centro do incêndio na parte superior da testa, deve haver uma mancha clara de vermelho, do tamanho de uma moeda de dez centavos. O príncipe Charles (foto), um cão tricolor, é branco, preto e castanho. A cor do solo é um branco perolado. O preto é composto das marcações que devem ser distribuídas uniformemente em grandes manchas. O bronzeado aparece como manchas nos olhos, no focinho, peito e pernas, as orelhas e ventilação também deve ser revestida com bronzeado. O Príncipe Charles tem nenhum ponto, que sendo uma característica particular do Blenheim.

Exercício
O King Charles Spaniel vai olhar para a frente a seus passeios diários, mesmo que acompanha seu dono em uma caminhada ou ir para uma galopada no parque. Vai ser rápido para aprender a exercer a sua liderança ou um jornal. Não se esqueça de esfregar-se com uma toalha após ter sido na chuva.

Embelezamento
A escovação regular com uma escova de cerdas é essencial. Examine as patas para qualquer vestígio de cistos interdigitais e ouvidos para o cancro, muitas vezes detectáveis por um odor desagradável. Limpe os olhos com um chumaço de algodão embebido em uma solução salina leve (salina para usuários de lentes de contato é bom) para mantê-los claros de desgaste estrias feias.

Alimentação
Cerca de 1 / 2 – 1 lata de marca do alimento de cão (13,3 oz 376 tamanho g), com um biscoito, ou 1 – 1 1 / 2 xícaras de comida de cachorro seco com pedaços de carne com moderação, acrescentou. Sempre garantir que o seu rei Charles Spaniel tem uma ampla oferta de água doce.

Origem e História
O King Charles é geralmente considerada como uma raça britânica, mas ela pode ser rastreada de volta ao Japão em 2000 aC. A raça original era muito mais em evidência na corte, Inglês do século 16, quando ele se assemelhava ao de hoje, mais de nariz Cavalier King Charles Spaniel. Como cães de nariz curto tornou-se moda, o King Charles Spaniel evoluiu.

A raça tem muitas associações real: um foi encontrado escondido no vestido dobrado de Maria, Rainha dos Escoceses, após sua execução e Macaulay, em sua História da Inglaterra, se lembra de como o rei Charles II endeared ao seu povo, jogando com estes pequenos spaniels em St. James’s Park.

phalene

O Falena é um spaniel de brinquedo que leva o seu nome da palavra francesa para mariposa. A raça é muitas vezes referida como a “Continental Toy Spaniel”. O Papillon é idêntico, exceto que os ouvidos são definidos na cabeça, franjas, como asas de uma borboleta.
O Falena é um carinhoso, alegre cão pequeno. É resistente, filhotes com facilidade, é um andarilho bom, e pode se adaptar aos extremos do clima. Sua aparência atraente e natureza amigável torna o animal de estimação ideal da família. Mas, como muitas raças do brinquedo, ele tem uma tendência a ser possessivo de seus proprietários e, muitas vezes se ressente de visitantes para a casa.

Tamanho
Altura: 8-11 polegadas (20-28 cm) na cernelha
O Papillon vai aparecer um pouco mais longo do que alto.

Casaco
Abundante, longo, fino, sedoso, fluindo, em linha reta com qualidade elástica, plana na parte traseira e laterais do corpo. Uma franja profusa no peito. Não tem subpêlo. Cabelo curto e fechado no crânio, focinho, à frente das patas e dos pés traseiros para jarretes. Orelhas bem franjadas com o interior coberto de pêlos sedosos de comprimento médio. Costas das patas dianteiras são cobertas com penas diminuindo para os metacarpos. pernas traseiras são cobertas até os jarretes, com abundantes calções (culotes). A cauda é coberta com uma pluma longa, flutuante. Cabelo em pé é curto, mas bem, pode aparecer tufos sobre os dedos e crescer além de si formando um ponto.

Cor
Particolor – branca com manchas de qualquer cor. Tri-color – preto e branco com manchas castanho acima dos olhos, dentro das orelhas, nas bochechas, e pode ter tan sob a raiz da cauda. Na cabeça, a cor diferente do branco deve cobrir ambas as orelhas para trás, e de frente e se estender sem interrupção das orelhas sobre ambos os olhos. Uma chama claramente definidos e faixa branca no nariz é preferível a uma cabeça solidamente marcada. A simetria das marcas faciais é desejável. O tamanho, formato, localização, ou ausência de manchas no corpo são sem importância. Phalenes pode ser qualquer particolor, desde o nariz, pálpebras e os lábios são bem pigmentadas de preto. Entre as cores, não há preferência.

As seguintes faltas devem ser severamente penalizados:
(A) do nariz não preto.
(B) A cor diferente do branco não cobrindo as orelhas para trás e da frente, ou não se estende desde os ouvidos mais de ambos os olhos. A pequena extensão do colarinho branco na base das orelhas ou alguns cabelos brancos, espalhados entre a cor não deve ser penalizado desde o surgimento da borboleta não é sacrificado.

Exercício
Como um grande número de raças do brinquedo, a Falena de boa vontade de seu dono andar fora de seus pés, ou se contentar com uma caminhada ao redor do parque. Uma coisa é certa: você não vai cansar-lo.

Embelezamento
higiene diária é necessária para manter a Falena em bom estado.

Alimentação
Recomendado seria 1 / 3 – 1 / 2 comida de cachorro pode (13,3 oz tamanho 376 g) de marca, com um biscoito ou 1 1 / 2 xícaras de alimento seco para cães. Sempre fornecem um amplo suprimento de água fresca para o seu Falena.

Origem e História
Acredita-se ser um descendente do Spaniel Anão do século 16 e que tiveram origem em Espanha, a guloseima, Falena pouco tem sido incluído em muitas pinturas, incluindo alguns de Rubens e Van Dyke. O Papillon, borboleta ou cachorro, é idêntico, exceto para os ouvidos asa de borboleta. No Canadá, os Estados Unidos e no Reino Unido eles são julgados como uma raça com os padrões quase idênticos. No entanto, a FCI (França) separa as raças para os padrões e as variações de peso. Phalenes ter feito bem em treinamento de obediência e provas de agilidade.

MARKIESJE

Na década de 70, esse holandês de pequeno a médio porte havia desaparecido completamente. Foi então que uma apreciadora de cães, Mia van Woerden, decidiu recriá-lo.
Começou a acasalar raças que, de alguma forma, apresentassem semelhanças com o então extinto cãozinho, como o Phalene e o Cavalier King Charles Spaniel.
Como esse programa de acasalamentos não trouxe os resultados esperados, cães sem raça definida passaram a ser utilizados.
Desta vez funcionou e, em 1977, nascia a primeira ninhada considerada oficialmente como Markiesje. Dois anos mais tarde, em 1979, foi fundado o clube holandês da raça. E, em 1981, o plantel do Markiesje era composto por 24 fêmeas e 12 machos.

Hoje, ainda bastante rara até mesmo no próprio país de origem, a raça permanece sem o reconhecimento das principais entidades cinófilas do mundo.
Ainda que registros bibliográficos afirmem que o Markiesje, antes de seu desaparecimento, teria sido utilizado para a caça de aves e para guardar plantações de tulipa, o clube da raça na Holanda não confirma essas informações:
“O Markiesje não é, e acreditamos que nunca tenha sido, usado para nenhum tipo de trabalho”, diz o membro da entidade, o holandês Willem Bruyn.
“Ele é, sim, um cão de companhia e trata-se de um companheiro ativo, brincalhão, muito alerta, observador e que adora seguir o dono pela casa”, resume Bruyn.

Altura: cerca de 39 cm. Peso: 7 a 8 kg.
Cor: preta. Aceitam-se pequenas machas brancas ou canela (tan) em regiões específicas, como peito, ponta das patas e ponta da cauda.
Pelagem: semilonga e macia. Entidade que o reconhece: apenas o Kennel Clube principal da Holanda, chamado Managing Board Concerning Kynological Matters.
No Brasil: não há notícias oficiais da raça.

cavalier king spaniel ingles

Origem: Grã-Bretanha

Utilização: Companhia

Aparência Geral: ativo, gracioso, bem proporcionado e de expressão doce.

Comportamento e Temperamento: impetuoso, afetuoso e, absolutamente, sem medo. Alegre, amigável, não agressivo; sem nenhuma tendência ao nervosismo.

Cor: Preto e castanho: preto com marcações em castanho acima dos olhos, nas faces, face interna das orelhas, no peito, nos membros e sob a Cauda. A cor castanho deve ser brilhante. Marcas brancas são indesejáveis. Rubis: unicolor vermelho intenso. Marcas brancas são indesejáveis. Blenheim: marcas castanho vivo, bem distribuídas sobre o fundo branco pérola. As marcas devem se dividir de maneira igual na Cabeça, deixando um lugar entre as orelhas para uma mancha em forma de pastilha (a única Característica da raça).

Cabeça Região Craniana Crânio: quase plano entre as orelhas. Stop: pouco marcado. Região Facial Trufa preta, bem desenvolvida e sem manchas. Focinho: o comprimento da base do stop à base da Trufa é de, aproximadamente, 3,8 cm. A largura diminui para a ponta. A face sob os olhos é bem cheia. Qualquer tendência a ser pontudo é indesejável. Lábios: bem desenvolvidos sem serem pendentes. Maxilares / Dentes: maxilares fortes com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura. Olhos: grandes, escuros e redondos sem serem proeminentes; inseridos bem afastados. Orelhas: longas, de inserção alta, com franjas em abundância. Pescoço: de comprimento médio e ligeiramente arqueado. Corpo Dorso: nivelado. Lombo: curto. Peito: médio; costelas bem arqueadas. Cauda de comprimento proporcional ao corpo; boa inserção; portada alta, porém nunca acima da linha do dorso. O corte da Cauda é opcional. Quando operada, não deve ser removida em mais de um terço. Membros Anteriores: de ossatura média e retos. Ombros: bem inclinados. Posteriores: de ossatura média. Joelhos: bem articulados. Jarretes: sem tendência aos jarretes de vaca ou em foice. Patas: compactas, com boas almofadas e bem franjadas. Movimentação: livre e elegante em ação, com muita propulsão nos posteriores. Anteriores e posteriores movem-se paralelamente quando vistos pela frente ou por trás. Pelagem Pêlos: longos, sedosos, sem encachear. Admite-se uma ligeira ondulação. Franjas abundantes. Os exemplares deverão apresentar-se livres de trimming. Cabeça Região Craniana Crânio: quase plano entre as orelhas. Stop: pouco marcado. Região Facial Trufa preta, bem desenvolvida e sem manchas. Focinho: o comprimento da base do stop à base da Trufa é de, aproximadamente, 3,8 cm. A largura diminui para a ponta. A face sob os olhos é bem cheia. Qualquer tendência a ser pontudo é indesejável. Lábios: bem desenvolvidos sem serem pendentes. Maxilares / Dentes: maxilares fortes com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura. Olhos: grandes, escuros e redondos sem serem proeminentes; inseridos bem afastados. Orelhas: longas, de inserção alta, com franjas em abundância. Pescoço: de comprimento médio e ligeiramente arqueado. Corpo Dorso: nivelado. Lombo: curto. Peito: médio; costelas bem arqueadas. Cauda de comprimento proporcional ao corpo; boa inserção; portada alta, porém nunca acima da linha do dorso. O corte da Cauda é opcional. Quando operada, não deve ser removida em mais de um terço. Membros Anteriores: de ossatura média e retos. Ombros: bem inclinados. Posteriores: de ossatura média. Joelhos: bem articulados. Jarretes: sem tendência aos jarretes de vaca ou em foice. Patas: compactas, com boas almofadas e bem franjadas. Movimentação: livre e elegante em ação, com muita propulsão nos posteriores. Anteriores e posteriores movem-se paralelamente quando vistos pela frente ou por trás. Pelagem Pêlos: longos, sedosos, sem encachear. Admite-se uma ligeira ondulação. Franjas abundantes. Os exemplares deverão apresentar-se livres de trimming. Peso: 5,4 a 8 kg. É desejado um cão pequeno e bem balanceado dentro destes pesos.

buldogue frances

Utilização: Companhia, guarda e lazer

Aparência Geral: tipicamente um molossóide de pequeno porte. Poderoso para seu pequeno talhe, brevilíneo, atarracado em todas as suas proporções, de pêlo raso, de focinho curto e Trufa achatada, de orelhas empinadas, com uma Cauda naturalmente curta. Seu aspecto é de um animal ativo, inteligente, muito musculoso, de ESTRUTURA compacta e sólida ossatura.

Comportamento e Temperamento: sociável, alegre, brincalhão, esportivo e esperto. Particularmente afetuoso com seus donos e com crianças. Cabeça muito forte, larga e cubóide. O revestimento da pele forma pregas e rugas quase simétricas. A Cabeça do Buldogue Francês é caracterizada por uma retração da maxila com o crânio, ganhando em largura o que perdeu em comprimento.

Histórico: surgiu, provavelmente, como todos os Dogues, Molossos do império e do império romano, parente do Buldogue da Grã-Bretanha, dos Alanos da Idade Média, dos Dogues e pequenos Dogues da França. O Buldogue Francês, que conhecemos, é o produto de diferentes cruzamentos feitos pelos criadores apaixonados nos bairros populares de Paris no ano de 1880. Na época, cães dos fortes dos Halles – açougueiros, cocheiros – souberam conquistar a alta sociedade e o mundo dos artistas pelo seu físico tão exclusivo e seu caráter. Daí se difundirem rapidamente.

O primeiro Clube da raça foi fundado em 1880 em Paris. O primeiro registro de inscrição data de 1885 e o primeiro padrão foi redigido em 1898, ano no qual a Sociedade Canina Central reconheceu a raça do Buldogue Francês. O primeiro cão exposto foi a partir de 1887. O padrão foi modificado em 1931, 1932 e 1948; foi reformulado em 1986 por H. F. REANT e R. TRIQUET (publicação FCI 1987), depois em 1994 pelo Comitê do Clube do Buldogue Francês com a colaboração de R. TRIQUET.

Região Craniana Crânio: largo, quase plano com a testa muito arqueada. Arcadas superciliares proeminentes, separadas por um sulco sagital particularmente desenvolvido entre os olhos. O sulco não se prolonga para a testa. Crista occipital muito pouco desenvolvida. Stop: profundamente acentuado. Região Facial Trufa larga, muito curta, arrebitada, com narinas bem abertas, simétricas e inclinadas obliquamente para trás. A inclinação das narinas bem como a Trufa arrebitada devem todavia permitir a respiração nasal normal. Cana nasal: larga, muito curta, apresentando pregas centrais simétricas, descendo sobre os lábios superiores (comprimento 1/6 do comprimento total da Cabeça). Lábios: espessos, um pouco soltos e pretos. O lábio superior junta-se uniformemente com o inferior e oculta completamente os dentes que jamais devem estar visíveis. O perfil do lábio superior é descendente e arredondado. A língua jamais deve ficar à mostra. Maxilares: largos, quadrados, e poderosos. A mandíbula descreve uma curva ampla, articulando-se à frente da maxila. Com a boca fechada, a proeminência da mandíbula (prognatismo) é moderada pela curvatura dos ossos mandibulares. Essa curvatura é necessária para evitar um afastamento muito grande da mandíbula. Dentes: os incisivos inferiores de modo algum podem estar atrás dos superiores. A arcada incisiva inferior é arredondada. Os maxilares não podem apresentar desvio lateral nem torção. O afastamento das arcadas incisivas não é rigorosamente limitado, a condição essencial é que os lábios superiores e inferiores se fechem bem justos de forma a ocultar completamente os dentes. Faces: os músculos são bem desenvolvidos, mas sem relevo. Olhos: expressão alerta, de inserção baixa, bem longe da Trufa e, principalmente, das orelhas; de cor escura, bastante grandes, bem redondos, ligeiramente protuberantes, sem deixar aparente qualquer traço do branco (esclerótica) quando o exemplar olha direto para a frente. A orla das pálpebras é preta. Orelhas: de tamanho médio, largas na base e arredondadas na ponta. Inseridas no alto da Cabeça, sem ficarem muito próximas, e portadas eretas. A abertura da concha acústica é voltada para a frente. A pele é fina e macia ao toque. Pescoço: curto, ligeiramente arqueado, sem barbelas. Tronco Linha superior: progressivamente ascendente no lombo para descender rapidamente na direção da Cauda. Esse perfil da linha superior deve ser almejado por causa do lombo curto. Dorso: largo e musculoso. Lombo: curto e largo. Garupa inclinada. Peito: cilíndrico e bem profundo, costelas chamadas em barril, muito arqueadas. Antepeito: amplamente aberto. Ventre: retraído sem ser esgalgado. Cauda curta, de inserção baixa na Garupa, rente às nádegas, grossa na raiz, em espiral ou quebrada naturalmente e afilada na ponta. Mesmo em movimento, deve ser portada abaixo da horizontal. A Cauda relativamente longa (sem ultrapassar a ponta do jarrete), quebrada e afilada, é admitida, mas não almejada. Membros Anteriores: vistos de perfil e de frente, são aprumados e regulares. Ombros: curtos, grossos, revelando uma musculatura firme e aparente. Braços: curtos. Cotovelos: trabalham estreitamente ajustados ao corpo. Antebraços: curtos, bem afastados, retos e musculosos. Carpos e metacarpos: sólidos e curtos. Posteriores: fortes e musculosos, um pouco mais longos que os anteriores, elevando, assim, o trem posterior. Vistos por trás e de perfil, os aprumos são regulares.

Coxas: musculosas, firmes, sem serem muito arredondadas. Jarretes: bem curtos, nem muito angulados, nem, principalmente, muito retos. Metatarsos: sólidos e curtos. O Buldogue Francês deverá nascer sem ergôs. Patas: as patas anteriores são redondas, pequenas, chamadas pés de gato, bem pousadas no solo, ligeiramente voltadas para fora. Os dígitos são bem compactos, de unhas curtas, grossos e bem separados. As almofadas plantares e digitais são duras, espessas e pretas. Nos exemplares tigrados, as unhas devem ser pretas. Nos brancos e rajados e nos fulvos, a preferência será pelas unhas escuras, sem, entretanto, penalizar as unhas claras. As patas posteriores são bem compactas. Movimentação: passadas fluentes, com os membros deslocando-se paralelamente ao plano médio do corpo. Pelagem Pêlo: lindo pêlo raso, cerrado, brilhante e macio. COR • uniformemente colorido fulvo, tigrado ou não, ou com nuanças limitadas. • fulvo tigrado ou não, com nuanças médias ou esmaecidas. Todas as nuanças do fulvo são admitidas, do vermelho ao café com leite. Os exemplares inteiramente brancos são classificados dentro dos fulvos tigrados com nuanças brancas esmaecidas. Desde que um exemplar apresente a Trufa muito escura, olhos escuros debruados com pálpebras escuras, alguma despigmentação da face poderá ser excepcionalmente tolerada nos cães muito bons. Talhe E Peso: o peso não deve ser inferior a 8 quilos, nem superior a 14 quilos; para um Buldogue em bom estado, o talhe é proporcional ao peso.
Restou Alguma Dúvida ? Converse conosco ou com outros leitores no nosso Fórum
/

terrier tibetano

O tibetano Terrier é considerado um dos cães antigos encontrados através de ascendência estar relacionado com outros cães tibetanos que remonta tão cedo quanto 1100 aC. Os estudos têm sido realizados sobre o esqueleto de cães que foram encontrados nos assentamentos humanos. No entanto, confunde muitas vezes surge quando você se determinar exatamente o que a raça foi cruzada ou como a evolução destes cães remoto Tibete veio a ser.

Como você já deve ter adivinhado, o terrier do Tibete não está relacionada com qualquer tipo de terrier, mas derivado do nome de viajantes europeus desde o cão lembrou dos terriers de seu país de origem.

O terrier tibetano tem sido vista como cães templo, cães de fazenda e, claro, não-desportivos e os cães de companhia. Na maioria dos casos ao longo da história, qualquer um dos cães tibetanos, incluindo o terrier tibetano foi uma possessão prized e nunca foram vendidos, mas foram dados como presentes. O nome para o terrier tibetano em seu país de origem é Tsang Apso, que se traduz tão perto quanto pode ser convertido em cão felpudo ou barbudos da província de Tsang. No entanto, outros chamaram-lhe a Apso Dokhi traduzido para significar Apso ao ar livre e fazer Khyi Apso significado barbudos Mastiff tibetano.

Aparência
O terrier tibetano está em 14 a 17 polegadas para os machos e as fêmeas e pesam em torno de 18 a 30 libras. As fêmeas são normalmente um pouco menor do que os machos. Ele é um cão de tamanho médio com uma pelagem dupla. O revestimento exterior é abundante e multa enquanto o subpêlo é macio e lanoso. A pelagem é encontrado em qualquer ondulado ou reto e deve pendurar longo, mas não deve tocar o chão. Qualquer casaco cor é aceitável, incluindo branco.

Os olhos do Terrier Tibetano são grandes, bem separados, e são marrom escuro, porém, a maioria das pessoas podem acreditar que negros. As pálpebras devem ser escuras. As orelhas são pendentes em forma e em forma de penas com av. O nariz é sempre preto, enquanto os dentes devem se reunir em um torquês, um pouco apertado tesoura, ou uma mordedura em tesoura firmemente contrário.

Seu corpo é quadrado, compacto e forte, com um nível para trás. A cauda é fortemente revestido de comprimento médio e é enrolada sobre suas costas caindo para os lados. Alguns têm uma pequena torção próximo à ponta.

As patas dianteiras são fortes, retos e um casaco pesado. Os pés na parte dianteira e traseira são grandes, chatos e redondos que lhes dão o mesmo efeito usando uma raquete de neve. As almofadas também são fortes e grossa com pele entre os dedos e almofadas. Por razões de segurança e saúde dos cabelos entre os dedos dos pés devem ser aparadas, mesmo com as almofadas e os ergôs podem ser removidos se desejados.

Personalidade
O terrier tibetano é um divertimento doce, amoroso, gentil, ativo e. Ele pode ser um pouco cauteloso com estranhos, mas é muito leal aos seus donos. Eles tendem a se feliz em cada estilo de vida se cidade ou país, desde que lhes é dada muita atenção de seus proprietários. Eles combinam com o estilo de vida de sua família e são bastante conteúdo lounge ao redor da casa ou correr na praia.

Eles são muito inteligentes e podem ser treinados para fazer quase nada enquanto o treinamento está sendo feito de uma forma positiva e consistente.

A maioria dos Terriers tibetano fazer melhor com filhos mais velhos que tratá-los com respeito e não de crianças menores que tendem a puxar as orelhas ou tentar arrastá-los ao redor.

Cuidados
Apartamento vida não é um problema com o terrier do Tibete, enquanto ele fica bastante exercício. Ele pode querer em torno de salão no sofá com o resto da batata sofá da família, mas não é saudável para ele ou para seu mestre. Simplesmente correndo em torno de um pequeno jardim lhe dará o direito quantidade de exercício.

Ele vai exigir um pouco de preparação. Você deve escovar o cabelo a cada 2 a 3 dias para evitar confusões e remover pêlos soltos. Quando você dá-lhe um banho uma vez por semana não menos de duas semanas, não escovar o casaco até que esteja completamente seco ou use um condicionador. Após seu banho, você deve grampear qualquer excesso de pêlos de suas orelhas e entre as almofadas dos pés.

História
Ao contrário do Spaniel Tibetano que se originou a partir da “Cozinha Midden Dog”, o professor Ludvic estudos von Schulmuth show do Terrier Tibetano, juntamente com o Lhasa Apso e do Mastiff tibetano não vem do sambaqui do cão, mas a partir do Grande cão do tipo Spitz, que evoluiu para o “cão dirigido pesado que mudaram para o norte”. Um dos ramos deste cão deu-nos a Owcharke que ainda é visto hoje na Rússia e na Ásia Central conhecido como o Ovcharka, de sua raça dividido em Mongólia interior e Mongólia. De ambos os ramos que recebemos do Norte Funlun Mountain Dog eo Sul Funlun Mountain Dog e daqueles que vieram do Terrier Tibetano eo Lhasa Apso.

Muitos acreditam que os monges tibetanos foram os primeiros a raça Terrier tibetano e foram considerados como de sorte. Esta raça foi introduzida no ocidente pelo Dr. ARH Grieg. Ela tinha sido dado vários destes cães maravilhosos como presentes de pacientes e um do Dalai Lama. Ela estabeleceu um terrier tibetano na Inglaterra.

Hoje, o terrier tibetano é reconhecido pela Fédération Cynologique Internationale – Grupo da Seção 9 5 # 209, American Kennel Club – Não-desportivos, Australian National Kennel Conselho – Grupo 7 Non-Sporting Cães, Canadian Kennel Club – Grupo 6 – Non-Sporting Cães , o Kennel Club do Reino Unido – Utilitário, Nova Zelândia Kennel Club – desportivas não, eo United Kennel Club – Companheiro Raças.